Atualizado em 03/03/2020, às 15:04

O radialista e blogueiro Diego Emir foi denunciado por suposto recebimento indevido de verbas públicas pela prefeitura de Bacabeira (MA). De acordo com documentos apresentados ao Ministério Público, o jornalista teria recebido pagamentos da Prefeitura de Bacabeira pelos serviços prestados de Mão de obra como “Pedreiro” na construção de Casas Populares.



Segundo as denúncias encaminhadas ao Ministério Público e ao TCE-MA, Diego teria recebido mais de R$ 95.000,00 (Noventa e cinco mil reais) da prefeitura sem o devido processo licitatório, como rege a Lei de Licitações. Foram emitidos diversos recibos de pagamento em nome do jornalista que, em outra ocasião, se posicionou com responsável por tudo que se referia a comunicação da Prefeitura de Santa Rita (MA).

[caption id="attachment_5986" align="aligncenter" width="1080"] Notas de Pagamento[/caption]

[caption id="attachment_5984" align="aligncenter" width="1080"] Notas de Pagamento[/caption]

[caption id="attachment_5983" align="aligncenter" width="1080"] Notas de Pagamento[/caption]

Em várias das Notas, disponibilizada no site do TCE-MA, Diego teria contrato com a Prefeitura afirmando morar na cidade de Bacabeira e embora suas notas não ultrapassem o valor de R$ 8.000,00, seriam uma espécie de fatiamento para tentar manipular a Lei.



Diego é também filho do Assessor de Comunicação do TCE-MA, Aquiles Emir, lotado na Assessoria de comunicação e Marketing.

 



Resposta do Jornalista Diego Emir a respeito das Nota que se referem ao seu nome:

Em relação a informação divulgada. Informo que não tenho conhecimento de tais notas e como pode ser verificado nos documentos divulgados não consta minha assinatura. E jamais assinaria, algo que não condiz com a função que exerço.
Os documentos não possuem nem assinatura do jornalista Diego Emir e nem da prefeita Fernanda Gonçalo.
Aos órgãos competentes, Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado do Maranhão, serão enviados os documentos necessários provando que tais notas não tem valor.
As notas apresentadas possuem erros grotescos, as quais estão sendo utilizadas para prejudicar a gestão de Fernanda Gonçalo.